O IPC NO DIÁRIO DE COIMBRA

Escrito por Bruno Vicente   

Instituto Politécnico de Coimbra

Viana Ramos abdica de tentar dar posse a Fernando Páscoa

Torres Farinha avança com declaração de interesse público. A decisão relativa à providência cautelar vai desbloquear o processo eleitoral no IPC

O presidente do Instituto Politécnico de Coimbra (IPC) anunciou na reunião de ontem do Conselho Geral que vai avançar com a declaração de interesse público em relação a uma providência cautelar interposta por António Campos, que estava a «suspender o acto eleitoral». «Ao entregar a minha candidatura demonstrei que sou o primeiro interessado em que o processo eleitoral ande, ao contrário da ideia que o presidente do Conselho Geral tem passado sobre mim. O professor Viana Ramos continua a queimar a minha imagem pública e política, mas primeiro está a queimar a própria instituição», afirmou Torres Farinha, actual presidente do IPC.

O professor fala mesmo numa «tentativa de assalto ao poder», que envolve «gente capaz de ir muito longe e que está a colocar o IPC nas ruas da amargura». «Se eu não tenho anunciado publicamente a minha candidatura será que tudo isto acontecia?», questiona Torres Farinha.

As eleições estão agendadas para 19 de Junho e o actual presidente do IPC tem a concorrência de Jorge Bernardino (presidente do Conselho Directivo do Instituto Superior de Engenharia de Coimbra) e Rui Antunes (presidente do Conselho Directivo da Escola Superior de Educação de Coimbra). A campanha eleitoral deverá seguir agora o trilho normal. No entanto o tribunal continua a ter que se pronunciar sobre a providência cautelar que questiona a legitimidade das decisões do Conselho Geral, entre as quais a marcação do acto eleitoral. A decisão judicial tem capacidade para anular todo o processo, mas pode demorar anos a surgir.

Viana Ramos tem apoio do Conselho Geral
O Conselho Geral, em reunião extraordinária, colou-se ontem ao lado de Viana Ramos e reiterou, por voto secreto, a posição do presidente do IPC em dar posse a Fernando Páscoa, o docente mais antigo da instituição num quadro superior. Viana Ramos considera que já terminou o prazo do mandato do presidente do IPC e que, por isso, deve ser nomeado um presidente interino. Contudo, o presidente do Conselho Geral vai abdicar de tentar dar posse a Fernando Páscoa, uma vez que Torres Farinha prometeu declarar interesse público, desbloqueando o acto eleitoral. «Falta um mês para as eleições e, por um mês, não há necessidade de avançar com a substituição», explicou o responsável.

Viana Ramos acredita que Torres Farinha «vai cumprir com o prometido» e apresentar a declaração de interesse público, mas deixa um aviso: «Se as coisas correrem mal eu tenho legitimidade e o apoio do Conselho Geral para dar posse ao professor Fernando Páscoa».
Segundo Viana Ramos, a reunião de ontem «foi longa» e «bastante acalorada».

Teresa Portugal pediu a demissão do Conselho Geral
Ausente da reunião de ontem esteve a deputada Teresa Portugal, que ao nosso jornal revelou ter apresentado a demissão do seu lugar no Conselho Geral. A razão é apenas uma: os recentes episódios verificados na instituição. «O que se tem passado é altamente desprestigiante», refere Teresa Portugal, lamentando que o bom-nome da instituição seja assim posto em causa.

A deputada e antiga vereadora da Câmara Municipal de Coimbra entende mesmo que o futuro do Instituto Politécnico de Coimbra pode estar em causa, caso prevaleçam as disputas de âmbito pessoal.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: